Sunday, 21 August 2011

registro

Eu tô perdida, confusa, com medo. Mas eu sou filha da Dona Rita.
Oficializo, neste momento, meu compromisso com o futuro, com o novo.
Eu sei que tudo vai se resolver, que eu vou dar conta do recado e que ainda vou ter tudo o que tem de melhor nessa vida, principalmente as pessoas certas ao meu lado.
Não vou viver de dúvidas. Vou viver de certezas!

Fica aqui o registro.




Thursday, 18 August 2011

Desperdício de tempo...

Gente, ou é ou não é. Não dá pra viver de suposição. A vida é muito curta pra ficar vendo ela passar e ainda dar um tchauzinho. Porra! Por que deixar a oportunidade escapar? Por que desperdiçar uma chance de ser feliz???

Bom, enquanto uns não se decidem, eu tô mega feliz com a notícia que recebi de uma amiga-irmã. Vou ser titia de novo!! Não vou citar aqui ainda o nome da amiga pq não sei se isso já pode ser exposto. Sei apenas que, apesar das circunstâncias do momento,  ele/ela, mesmo sendo apenas do tamanho de um grãozinho de feijão, já é muito amado pelos pais. Que Deus abençõe! :)

E o título do post anterior foi alterado. De acordo com a nova ortografia, autoafirmação não tem mais hífen. "O hífen não é mais utilizado em palavras formadas de prefixos (ou falsos prefixos) terminados em vogal + palavras iniciadas por outra vogal." 
(http://www.interney.net/?p=9764462)

autoafirmação

Eu não vou deixar a peteca CAIR!

Eu não vou deixar a PETECA CAIR!

Eu não vou DEIXAR A PETECA CAIR!

Eu não VOU DEIXAR A PETECA CAIR!

Eu NÃO VOU DEIXAR A PETECA CAIR!

EU NÃO VOU DEIXAR A PORRA DA PETECA CAIR!!!!

Ou eu não me chamo CLEIDOCA. :)

Tuesday, 16 August 2011

"Se conselho fosse bom, não se dava, vendia."

Recebi hoje um email e fiquei pensando sobre a história que eu li. Isso já rola há cerca de um ano. Sabe aqueles amores mal resolvidos? Ambos se gostam, mas vivem aquele ditado: quando um não quer, dois não fazem. O passado de um é triste demais e a conseqüência disso é um presente cheio de assombrações. Sei bem como é isso.

Queria que fosse fácil pra mim ou pra qq pessoa enfrentar os medos, as angústias. Queria que a vida fosse como uma novela ou um filme romântico em que o bem sempre vence o mal e o amor prevalece. Mas dificilmente é assim. Na realidade, é o que a gente passa na vida que constrói a nossa personalidade. E daí, o destino às vezes traz alguém que resgata o que está escondido, quase gritando e esperando apenas pela mão que vai trazer de volta toda a vontade de se entregar.

Penso eu que esse caso só irá ter um fim qdo finalmente um tiver que partir. E o triste é que isso não deve demorar pra acontecer...

Depois que li esse email, lembrei desse texto que circula na internet. Acho bonitinho e verdadeiro.

"Se conselho fosse bom, não se dava, vendia", né? Já ouvi muitas vezes. Mas quem sabe o velho apaixonado não tem razão? Se vive algo semelhante, espero que as palavras a seguir estimulem você a tomar a atitude certa. :)

E pra pensar na cama: já esteve num lugar, no meio de uma multidão, com todos se divertindo à sua volta, mas sentiu falta só de UMA pessoa? ;-)


"Conselho de um velho apaixonado

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer
seu coração parar de funcionar por alguns segundos,
preste atenção: pode ser a pessoa
mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento,
houver o mesmo brilho intenso entre eles,
fique alerta: pode ser a pessoa que você está
esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo
for apaixonante, e os olhos se encherem
d'água neste momento, perceba:
existe algo mágico entre vocês.

Se o 1º e o último pensamento do seu dia
for essa pessoa, se a vontade de ficar
juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
Algo do céu te mandou
um presente divino : O AMOR.

Se um dia tiverem que pedir perdão um
ao outro por algum motivo e, em troca,
receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos
e os gestos valerem mais que mil palavras,
entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste,
se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa
sofrer o seu sofrimento, chorar as suas
lágrimas e enxugá-las com ternura, que
coisa maravilhosa: você poderá contar
com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir
o cheiro da pessoa como
se ela estivesse ali do seu lado...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda,
mesmo ela estando de pijamas velhos,
chinelos de dedo e cabelos emaranhados...


Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,
ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...

Se você não consegue imaginar, de maneira
nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a outra
envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção
que vai continuar sendo louco por ela...

Se você preferir fechar os olhos, antes de ver
a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes
na vida poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção
nesses sinais, deixam o amor passar,
sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

É o livre-arbítrio. Por isso, preste atenção nos sinais.
Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem
cego para a melhor coisa da vida: o AMOR !!!"


Thursday, 11 August 2011

♫ Sorri, sou rei ♫

Assumir uma postura, um papel exige responsabilidade e coragem. Dependendo da ação, a conseqüência pode vir a ser a perda de algo ou alguém importante. Feliz ou infelizmente, não se pode ter tudo. Nada pode ser imposto. Eu acredito, porém, no respeito e na vontade. Eu acredito no companheirismo e na lealdade. Eu acredito na compreensão e , principalmente, na reciprocidade. 

Não penso que haja vítimas. Pra mim, existem circunstâncias, razões que justificam um ou outro comportamento. E, como eu digo sempre, nada como o tempo para fazer com que as coisas se ajeitem e a realidade seja aceita e/ou compreendida. Conforme o tempo passa, das duas, uma: ou o que era, volta a ser, ou se transforma.

Agora, curto o som:

 

Sunday, 7 August 2011

Afinal de contas, o que é certo?


Pensar e se preocupar com o outro em detrimento do que considera o bem para si mesmo e com isso sofrer? Ou pensar em si mesmo e revelar a honestidade do ditado doa a quem doer e com isso seguir com a consciência tranqüila? A verdade dói, né? Alguma vez você já teve medo de ouvir a verdade? Eu já. Porém, acho que ela é uma dor mais passageira do que a dor de sentir-se responsável pela tristeza de alguém.
Por que é tão difícil entender que nem sempre a importância que vc dá para determinado assunto também será dada pelo outro da mesma forma?
Você acha que nunca magoou ninguém porque você diz a verdade? Ou você quer acreditar que porque você diz a verdade isso te livra de qq responsabilidade pela dor do outro?
Isso parece um pouco confuso, né? Mas fica aqui o registro de um pensamento... confuso.



VERDADE 
Acepções
substantivo feminino
1    propriedade de estar conforme com os fatos ou a realidade; exatidão, autenticidade, veracidade
Ex.:

1.1    a fidelidade de uma representação em relação ao modelo ou original; exatidão, rigor, precisão
Ex.: a v. de um quadro, de uma foto
2    Derivação: por extensão de sentido.
     coisa, fato ou evento real, verdadeiro, certo
Ex.: o que eu contei corresponde à v.
3    Derivação: por extensão de sentido.
     qualquer idéia, proposição, princípio ou julgamento que se aceita como autêntico, digno de fé; axioma, máxima
Ex.: as v. de uma religião, de uma filosofia
4    Derivação: por extensão de sentido.
     procedimento sincero, retidão ou pureza de intenções; boa-fé
Ex.: agir com v.
5    Derivação: sentido figurado.
     o que caracteriza algo ou alguém; caráter, feitio
Ex.: demonstrar a sua própria v.
6    Rubrica: filosofia.
     correspondência, adequação ou harmonia passível de ser estabelecida, por meio de um discurso ou pensamento, entre a subjetividade cognitiva do intelecto humano e os fatos, eventos e seres da realidade objetiva
7    Rubrica: filosofia.
     no nietzschianismo e pragmatismo, pluralidade inesgotável e freq. contraditória de enunciados ou discursos que, em vista de suas conseqüências práticas, se revelam úteis ou favoráveis aos interesses de indivíduos, grupos, ou da humanidade em geral 



MENTIRA
Acepções
substantivo feminino
1    ato ou efeito de mentir; engano, falsidade, fraude
2    hábito de mentir
Ex.:

3    afirmação contrária à verdade a fim de induzir a erro
Ex.:
4    qualquer coisa feita na intenção de enganar ou de transmitir falsa impressão
Ex.: uma teoria elaborada à base de mentiras
5    pensamento, opinião ou juízo falso
Ex.: neste país, tudo é m. e presunção
6    Derivação: por extensão de sentido.
     aquilo que é enganador, que ilude, que se aproxima da verdade ou é real apenas na aparência; ilusão, fábula, ficção
Ex.: a felicidade é uma m.
7    Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
     pequena mancha branca nas unhas; albugem, leuconiquia
8    Rubrica: culinária. Regionalismo: Rio de Janeiro.
     biscoito preparado com massa de pão-de-ló, na forma de um pequeno disco; mentirinha
9    Rubrica: culinária. Regionalismo: Minas Gerais.
     pastel desprovido de recheio



HONESTIDADE
Acepções
substantivo feminino
1    qualidade ou caráter de honesto, atributo do que apresenta probidade, honradez, segundo certos preceitos morais socialmente válidos 2    característica do que é decente, do que tem pureza e é moralmente irrepreensível; castidade 

EGOÍSMO
Acepções
substantivo masculino
1    amor exagerado aos próprios valores e interesses a despeito dos de outrem
2    exclusivismo que leva uma pessoa a se tomar como referência a tudo; excessiva vaidade, pretensão, orgulho, presunção
3    Rubrica: ética.
     no kantismo, paixão humana fundamental, que consiste na submissão do dever ao interesse particular, em detrimento da obediência à lei moral
     Obs.: cf. amor-próprio
4    Rubrica: ética.
     no nietzchianismo, sentimento cuja plenitude está restrita ao homem nobre e incomum, capaz de compreender o mundo do ponto de vista exclusivo de seu próprio interesse, o que equivale, no campo da ética, ao perspectivismo interpretativo no âmbito da cognição
5    Rubrica: psicologia.
     atitude ética ou social que parte do princípio de que o móvel fundamental de todo pensamento ou ação (morais) é a defesa dos próprios interesses
     Obs.: p.opos. a altruísmo
6    Rubrica: psicanálise.
     interesse que o ego tem por si próprio


ALTRUÍSMO
Acepções
substantivo masculino
1    Rubrica: filosofia.
     segundo o pensamento de Comte (1798-1857), tendência ou inclinação de natureza instintiva que incita o ser humano à preocupação com o outro e que, não obstante sua atuação espontânea, deve ser aprimorada pela educação positivista, evitando-se assim a ação antagônica dos instintos naturais do egoísmo
1.1    amor desinteressado ao próximo; filantropia, abnegação 

Monday, 1 August 2011

Sobre quem a gente tem na vida...


Dia desses, conversei com um rapaz no msn que conheci em Dublin, o Daniel. Nosso encontro lá foi feito por intérmédio do Doc, que trabalhou comigo na samsung, e lá trocamos trocamos meios de contato. Na conversa, de pouco tempo, pois era quase a hora de almoçar e ele estava no trabalho, ele me deu o depoimento de como foram os primeiros dias pós-irlanda. Acho que as sensações são muito parecidas e fico aliviada de saber que não sou a única a ter os sintomas...

Antes de vir pra cá, um dos meus maiores medos era pensar na convivência em casa. Tinha receio que, depois de conquistada minha independência, eu tivesse que voltar pro Brasil e também no tempo, um tempo em que, apesar dos meus 28 anos da época, minha mãe gostava muito de me controlar.

Meu receio era tão grande de que nossa relação mãe e filha fosse abalada, que de lá mesmo eu comecei a prepará-la dizendo: eu não sou mais a mesma Cleide que saiu daí há três anos. Talvez por ter agido assim, tenho percebido que ela se esforça pra respeitar meu espaço. Isso é bom e colabora para que esse momento seja menos torturoso.

Voltar de uma experiência como a nossa, envolve muitas coisas. Envolve desapegar-se do que ficou lá, das pessoas com as quais nos relacionamos, do mode de vida, do nosso canto, do poder de consumo... E desapegar não é o mesmo que esquecer, é apenas deixar de lado por ser a única maneira que vc tem de seguir adiante, de caminhar.

Voltar de uma experiência como a nossa, também envolve o que a gente vai encontrar quando chegar. Envolve saber se as mesmas pessoas que te escreviam no facebook e deixavam mensagens de saudade vão fazer o mínimo esforço para te encontrar. Se as expectativas positivas de trabalho vão mesmo se concretizar. Se a família vai entender que você "cresceu" e por isso não é mais a menininha ou menininho que partiu para uma aventura e trouxe uma bagagem ainda maior de aprendizado, de maturidade.

Cada um tem sua vida e as condições em que se encontra reflete muito no bem ou mal-estar que pode viver. Eu sei que enquanto eu não estiver trabalhando e reconquistar meu espaço, ainda vou sofrer com as
dificuldades de adaptação.

Nunca foi como uma obrigação, mas trabalho desde os meus doze anos. Meus pais sempre tiveram comércio e eu sempre estive envolvida com eles de uma forma ou de outra. Hoje, aos quase 32, fico bem triste quando me vejo ociosa. Vejo em como o tempo passa e em quão grande é minha vontade de trabalhar, de explorar o meu talento (seja ele qual for), e nada acontece.

Sim, eu estou me dedicando na procura. A minha idéia, desde o início, é garantir uma vaga na área de comunicação. Passei tanto tempo da minha vida me dedicando ao estudo do jornalismo, que fico chateada de pensar em não pensar nisso. Exatamente assim, como eu disse mesmo. Porém, passado quase um mês de retorno, não me vejo em condições de esperar e então começo a atirar para o que aparecer. Meu tempo é precioso demais para ficar à mercê do destino.

Quando eu saí da Irlanda, me lembro de ter tido uma conversa em que eu disse que o que viria pela frente seria bem punk e que eu precisava ter do meu lado pessoas que fossem firmes. Que não desistissem de mim no meio do caminho. Hoje, sou muito grata àquelas que são peças-chave nesse jogo: minha mãe, que me ajuda, me apóia e tem respeitado meu momento; à claudinha que, por ter feito parte daquele mundo e compartilhar do mesmo sentimento que eu, se dispõe a me ouvir e trocar experiências, de modo que traga um certo "alívio" pro momento; ao AL, que prefiro não citar nome pq ele tem horror à exposição, mas que, até mesmo enquanto eu estava lá, sempre me deu liberdade e segurança para tratar de assuntos pessoais delicados e importantes e até hoje colabora pra que me sinta melhor. E, por último, à minha tão querida amiga e guerreira, Olívia, que está sempre à postos e com quem eu posso dividir tudo.
Eu nunca fui de muitos amigos, mas sou bem amparada pelos poucos que tenho.

Estou trabalhando meu lado espiritual. Depois de um tempo namorando um ateu, fiquei muito influenciada por alguns pensamentos. Agora me sinto vazia e como se não tivesse pra onde correr. É uma sensação bem estranha.

Esse foi mais um bocadinho de coisas que eu tinha pra contar...

Cleidoca

A criatividade do brasileiro

Marcio, Herbert e Rodrigo
Hahaha. Esse blog tá longe de querer ter popularidade. Eu uso a ferramenta como um diário, onde exponho alguns dos momentos que eu vivo ou até mesmo algumas histórias que amigos compartilham comigo. A última, por exemplo, acho que vale ser contada. Vai parecer um tom jornalístico, mas tá longe disso. É só pra registrar mesmo a brincadeira desses meninos...



Mesmo não vivendo nas melhores condições, o brasileiro se vira bem pra ganhar a pint nossa de cada dia. :)
Esse é o caso dos estudantes Herbert Zago, 26, Rodrigo Coelho, 27, e Marcio Bührer, 28. Os três foram para Irlanda atrás da fluência no idioma inglês e hoje estão se virando como podem pra garantir o aluguel da moradia e se divertirem nas noites do verão europeu sem remorsos. 

O mais velho de casa é o Marcio. Está em Dublin há um ano e três meses. Formado em Propaganda e Mkt, deixou o emprego seguro em SP e embarcou pra Europa em busca de aventura. Como quase todo estudante que vive por lá, precisa trabalhar pra pagar as contas. Já foi faxineiro, lavador de pratos e até chefe de cozinha. "São as coisas às quais nos dispomos por aqui, mas que são muito importantes para o fortalecimento de nossos valores, disse.
Rodrigo, administrador de empresas e ex operador de ações da bolsa de valores de SP, não tem uma história diferente. Exceto pelo tempo em que está lá, pouco menos de quatro meses, e por até hoje não ter conseguido uma vaga de emprego. A idéia é ter uma vivência no exterior e aprimorar o inglês.
O filho único da Dona Claudia, campineiro e analista de sistemas, Herbert, chegou em Dublin em Março deste ano e o que conseguiu até agora foram trabalhos esporádicos como servente de pedreiro, vendedor de jornal e até dançarino de forró. :)
O bacana desses três rapazes, é que de uma reunião entre amigos, surgiu uma idéia engraçada: a de se vestirem de homens "sombra" e partirem para a Grafton Street revelar o talento artístico que tem dentro de cada um...rs...Parafraseando o dito popular, de médico e artista, todo mundo tem um pouco. 
Com apenas quinze euros, compraram as roupas e a maquiagem. - Salve a Penneys, disse o Marcio! -  E salve mesmo! Agora passam horas acordados, criando as apresentações pro dia seguinte.
Acreditem, já ouvi muitos depoimentos de artistas que ganham uns bons trocos expondo o talento na famosa rua de Dublin. Há quem diga que já pagou o aluguel do mês com apenas algumas horinhas durante a semana.
O fato, minha gente, é que esse povo é feliz e agora tá fazendo os outros rirem no meio da rua, pois já ouvi dizer que foi um sucesso.
De cada momento difícil, tiram um lição de vida e ficam certos de que voltam dessa experiência mais fortes, mais maduros e cheios de histórias pra contar. É isso aí! Esperamos vocês aqui. :)
Beijocas da Cleidoca.